domingo, 10 de outubro de 2010

Diálogo do fim.

- Eu não entendo. Porque você está me deixando? Foi algo que eu fiz?
- Não.
- Então... Por quê?
- Eu... Apenas preciso. Você nunca acordou com uma vontade repentina de jogar tudo para o alto? Família, faculdade, amigos, amores e ir embora? Sem rumo, apenas você a caminho do sol. Encontrar a felicidade.
- Não. Minha felicidade é você.
- Mas, a minha não é você.
(silêncio)
- Nós estamos perdidos, né?
- Nós nos perdemos no momento em que nos encontramos.
(silêncio)
- Apenas... Me responda. Você foi feliz comigo? Aqui?
- Não..
- E você vai ser feliz nesse novo lugar?
- Não...
- Então... Por que ir?
- Porque é preciso. Eu tenho a chance de mudar minha vida.
- Mas... E eu?
- E você? Você vai me amar para sempre. Vai me procurar em cada beco, garota, bar. Aí um dia, em um lugar qualquer, você vai me ver. E vai achar que foi apenas uma ilusão, e eu irei embora.
- E você me amou? Digo, de verdade.
- Falar sobre o amor é tão clichê. E eu acho o amor deveras tedioso. É como pedir comida pelo telefone. Você espera a comida chegar, fica ansioso, quando ela chega você come bastante, fica cheio, e vai sentar no sofá para ver um programa qualquer na TV.
(silêncio)
- Eu vou sentir tua falta.
- Eu também.
(silêncio)
- Acho que é isso então. Eu devo ir.. Você.. vai para casa?
- Não. Vou ficar apenas aqui sentado, te vendo ir embora.
- Hum... Adeus então...
- Adeus.






Texto inspirado no filme do diretor Matheus Souza "Apenas o fim". Qualquer semelhança, não é mera coincidência.

5 comentários:

  1. Lindo *-*
    Me faz lembrar certas coisas :/

    ResponderExcluir
  2. Nice, mas é que nem comida mesmo. Uma hora a gente precisa dela ;)

    ResponderExcluir
  3. Tem uma lembrancinha para você no blog!!!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  4. diretamente, apenas um arrepiu que me subiu a espinha, foi muito bom ler, precisava disso...

    ResponderExcluir